Numa Noite Estrelada

 

Numa noite estrelada

Pertinho do paraíso

Recriando um antigo vício

Com a bic por meu guia

E você aí de espia

Com a viola e acinte

Não me tente pois já disse

Tudo é arte caprichosa

Onde poesia, viola e rosa

Embevedece sem pôr limite

 

Numa noite estrelada

Pertinho do paraíso

Depois de um dia tão quente

Sozinho com meu repente

Debaixo de um cajueiro carregado

Sou narrador armado

Pelos mais santos dizeres

Sou guardião dos saberes

Nessa terra pedregosa

Onde poesia, viola e rosa

Embevedece sem pôr limite

 

Numa noite estrelada

Pertinho do paraíso

Guiada pela poesia

Não vivo um só dia

Sem do sertão escrever

E festejar e bendizer

As artes de nossa terra

Que não carece nem de guerra

Para mostrar quão ricas e caprichosas

Onde poesia, viola e rosa

Embevedece sem pôr limite

 

Numa noite estrelada

Pertinho do paraíso

Nós aqui sem juízo

Se provocando sem ninguém ver

Como guardiões do saber

Em pose e bem armado

Jogando sem um centavo

Apostando na palavra

Sem público não somos nada

É melhor então se guardar

Pra noutra noite se dá

Num duelo sem fim

Você por você eu por mim

Numa noite estrelada

Pertinho do paraíso.

 

Elina Carvalho.