Herança

Herança I

 

Sertão de Acauã, pasto e esteira

lisa faca, couro, arreios e Serra

Catingueiras e panejo encarnado

envolvendo com seu seco bordado

uma saudade antiga de não sei que terra.

                                                                          

 

Herança II

Há uma sombra vermelho-inca

A pairar sobre os alimentos

Emanando saudades primitivas

Dos americanos sentimentos

Colho, cozinho, fervo, seco

Pilo a secreta virtude do milharal

Voando amplo no terreiro

Desmentindo da terra seu sal.

 

Herança III

 

Nalgum espinho daqui

o sasngue deixei estampado

ligando o tabuleiro da Serra

ao meu coração desarmado

uma tapeçaria sem dono teci

com a sorte de fio brocado

uma lida de sonho e amor

tingida com a linha da dor

que nem de longe se ver barrado.

 

 

Elina Carvalho.