Amor de Verão

 Da bicicleta do sonho o mascate moreno apeou

ciscou na quinquilharia um espelho e me ofertou

palmou cara e vestido

me espalhou uns cheiros, me falou no ouvido

da lindeza de minha estampa

que nem destravei a porta

dali mesmo me entreguei pronta

e no bagageiro da sorte

aprendi a paixão sem nobreza

me ladeia a fome a morte

mas nem me assombra a grandeza

amparada nos braços, enfeitada de flor

cavalgando a parda montaria

sigo a esperança cega e retirante

embriagada pelo amor, alegria prenha do instante.

 

Elina Carvalho.