Inibição

                                                                       INIBIÇÃO

 

 Vou cantar uma cantiga,

vou cantar- e me detenho:

porque sempre alguma coisa

minha voz está prendendo.

 

Pergunto à secreta música,

porque falha o meu desejo

porque a voz é proibida

ao gosto do meu intento.

 

E, em perguntar me resigno

me submeto e me convenço,

será tardia, a cantiga,

ou ainda não será tempo...

 

Cecília Meireles.