Washington Luiz

 

 

 

Washington Luís Pereira de Sousa, nasceu em Macaé, RJ, em 26 de outubro de 1869 e  morreu em São Paulo, 4 de agosto de 1957. Presidente do Brasil a partir de 15 de novembro de 1926, foi deposto em 24 de outubro de 1930, por forças comandadas por Getúlio Vargas, na chamada Revolução de 1930. Fez seus estudos primários no famoso Colégio Dom Pedro II, do Rio de Janeiro. Dali seguiu para São Paulo, onde se bacharelou em direito (1891). Mudou-se novamente para Batatais, onde praticou a advocacia e começou a carreira política no posto de vereador, em 1897; no ano seguinte foi eleito prefeito da cidade.

Em 1900 casou-se com Sofia de Oliveira Barros, e foi eleito deputado federal — não pode assumir por ter sido vetado pela Câmara de Verificação.

 Ingressa no Partido Republicano Paulista (PRP), elegendo-se deputado estadual (1904), prefeito de São Paulo (1914) e governador estadual (1920). De seu mandato como governador, destacam-se: a intransigência com que tratou o movimento operário (a ele é atribuída a frase: "A questão operária é um caso de polícia.") e o grande número de obras rodoviárias executadas ("Governar é abrir estradas.")

 Passa brevemente pelo senado após deixar o governo de São Paulo, e em 1925 é escolhido para disputar a presidência da república pelo PRP, no tradicional esquema de domínio conhecido como política do café com leite. Eleito, assume a presidência da república em 15 de novembro de 1926. Pratica uma política de câmbio elevado, mas mesmo assim enfrenta grandes dificuldades com a iminência da crise internacional e com a estagnação do café.

 Contrariando a política do café com leite, apóia um paulista à sua sucessão, Júlio Prestes. Os políticos de Minas Gerais aliam-se à Paraíba e ao Rio Grande do Sul e lançam uma chapa de oposição (a Aliança Liberal) composta por Getúlio Vargas (candidato a presidente) e João Pessoa.

 Manobrado as eleições de 1929, o PRP consegue vencer. Surgem boatos sobre uma possível revolução, desmentidos por Getúlio Vargas e outras lideranças da Aliança. No entanto, o assassinato de João Pessoa serve de pretexto para reunir lideranças aliancistas, que tramam um golpe e em outubro de 1930 depõem Washington Luís, preso e conduzido ao Forte de Copacabana. Uma junta militar assume a presidência, entregando-a a Getúlio Vargas no dia 3 de novembro.

 Washington Luís é exilado, vivendo anos na Europa e nos Estados Unidos da América. Volta ao Brasil em 1947, e pouco depois é eleito membro da Academia Brasileira de Letras. Passa a escrever livros e ensaios. Em 4 de agosto de 1957, falece em São Paulo.

 

Precedido por:

Artur da Silva Bernardes Presidente do Brasil

1926 — 1930 Seguido por:

Getúlio Vargas