Deixação da Enxada

Fiz deixação da enxada
Por ser um ferro ruim
Quando eu puxava por ela
Ela puxava por mim.

  

Não sei quem foi que inventou                    
Aquele ferro malvado                                    
Um bicho malamanhado              
Só sendo o cão que forjou                             
Porque Deus que nos criou
Não deixou coisa malvada
Depois da bicha encaibada
Só faz é calo na mão
Por essa grande razão
fiz deixação da enxada.
 
 
Eu comprei uma enxada
botei um cabo de pau
porem aquele ferro mau
me deu uma canelada
deixou-me de unha arrancada
nunca vi doer assim!
Foi um enfado sem fim
meu corpo todo doía
até que deixei um dia
por ser um ferro rui.


 
Eu deixei por um motivo
qual me queixo  a vida inteira
Quando limpei três carreiras
Estava mais morto que vivo
Tomei um nota no livro
Para não esquecer mais dela
Com suor e mela-mela
Quase queimou a botica
o suor corria em bica
quando eu puxava por ela.
 
 
Vi-me em tormentos cruéis
com tal ferro arrenegado
se puxava pra meu lado
lá vinha cortar-me os pés
eu não tenho meus derréis
para dar por tal Caim
que deixou-me surubim
com mormos pela canela
quando eu puxava por ela,
ela puxava por mim.
 
 Cordeiro Manso